Português Italian English Spanish

Volvo celebra 20 anos do lançamento da transmissão automatizada I-Shift

Volvo celebra 20 anos do lançamento da transmissão automatizada I-Shift


Já se passaram 20 anos desde o lançamento global da inovadora caixa de câmbio I-Shift da Volvo. No Brasil a transmissão automatizada I-Shift chegou em 2003, equipando os caminhões FH e NH fabricados no país.

Crédito - Volvo / Divulgação -

Já se passaram 20 anos desde o lançamento global da inovadora caixa de câmbio I-Shift da Volvo. No Brasil a transmissão automatizada I-Shift chegou em 2003, equipando os caminhões FH e NH fabricados no país.

“A I-Shift é um marco da indústria de caminhões, graças ao seu impacto positivo nas operações de transporte”, declara Roger Alm, presidente da Volvo Trucks. A transmissão automatizada proporcionou: redução no consumo de combustível, um dos mais importantes consumidores de despesas do transportador; melhor desempenho do caminhão; redução dos custos de manutenção; maior conforto e mais segurança na operação.

Pioneira

Ao Volvo foi pioneira ao lançar um sistema de transmissão mais eficiente para trocas de marchas, de forma automatizada. A montadora foi a primeira trazer o sistema para transportes de longa-distância. O dispositivo rapidamente conquistou os motoristas pela facilidade na seleção de marchas de acordo com a carga e a necessidade de potência do veículo no momento exato.

“A I-Shift colaborou decisivamente para mudar a atitude dos motoristas. Era avançada e ao mesmo tempo simples de ser utilizada, contribuindo para uma condução mais correta”, lembra Jeseniel Valério, gerente de engenharia de vendas da Volvo no Brasil. A Caixa de Cambio otimiza as trocas de marcha durante todo o percurso do veículo, eliminando variações na condução com caixa manual provocadas pelo cansaço do motorista, que resultam em perdas de performance e maior consumo de combustível.

Segurança

“Um dos principais predicados da caixa I-Shift é trabalhar em conjunto com o freio motor VEB em descidas. Ela realiza trocas de marchas precisas garantindo que o freio motor entregue sempre sua máxima potência de frenagem, aumentando as velocidades médias e garantindo total segurança em descidas de serra, por exemplo”, explica Valério, ressaltando ainda que a transmissão Volvo “garante maior durabilidade da embreagem e menor desgaste de pneus”.

I-Shift em 100% dos caminhões novos

“Desde 2019, todos os caminhões FH, FM e FMX produzidos pela Volvo no Brasil saem com I-Shift”, assegura o gerente. Os ônibus rodoviários da montadora, também recebem essa transmissão, além de boa parte dos modelos VM. O número de vendas de caixas de cambio começou tímido, mas a evolução foi rápida até chegar aos 100% em 2019. Segue os números: 3% nos primeiros três anos, 8% em 2007; 16% em 2008; 40% em 2009; 56% em 2010; 74% em 2012; e atuais 100% em 2019.

Atualmente mais de um milhão de caminhões Volvo já foram vendidos com a caixa. “Temos I-Shift em todo o mundo”, diz Pär Bergstrand, gerente de transmissões pesadas da Volvo Trucks. Esse é o resultado de anos de pesquisas e trabalhos realizados pela engenharia da Volvo.

Várias gerações

A transmissão já se encontra na sua sexta geração. Muitas foram as atualizações que a caixa de câmbio recebeu, resultando em trocas de marchas mais rápidas, menor consumo de combustível, melhor performance em rampas e maior conforto operacional para o motorista. Ela possui 12 marchas a frente e 4 a ré, o I-Shift gerencia melhor a relação com o motor, aproveitando melhor a potência e mantendo a velocidade média em trechos com aclives. 

A Volvo disponibiliza também a opção do o I-Shift com marchas super reduzidas, ideias para operação que demande de maior capacidade de arranque para transportar cargas pesadas em situações difíceis. Como exemplo em minerações ou canteiros de obras. 

Crédito - Volvo / Divulgação -

I-See

O I-See é um opcional que trabalha em conjunto com o I-Shift, ele analisa a topografia da rota e usar esse conhecimento para manter o caminhão na marcha mais econômica. O I-See ajuda o caminhão a manter uma velocidade média consistente, analisando dados de mapas baseados em nuvem sobre a topografia da estrada à frente, informando ao câmbio I-Shift quando é o momento ideal para mudar de marcha a fim de economizar combustível.

Produção no Brasil

Desde 2011, o Grupo Volvo começou a fabricar a transmissão no Brasil. já em 2020, a Volvo atingiu a produção de 100 mil unidades deste componente na fábrica da marca em Curitiba (PR).

Maíra Fernanda - Clube do Motorista